Crítica | A Terra Vai Se Tornar Um Planeta Inabitável




Falta muito para A Terra Vai Se Tornar Um Planeta Inabitável conseguir atingir, de maneira séria, as pessoas que são atraídas pelo gigante nome que a banda exibe.

A Terra Vai Se Tornar um Planeta Inabitável, álbum de estreia da banda de mesmo nome, não tem nada a oferecer e muito menos condiz com seu título que, a princípio, dá ao público que irá consumi-lo um breve vislumbre do que poderia vir a ser a obra. Neste caso, alguma coisa focada em refletir sobre a falência do sistema capitalista ou falar dos sentimentos produzidos pela experiência de estar vivenciando a derrocada do mundo diante de nossos próprios olhos ou como as problemáticas da crise climática tem implicado nisso tudo etc. São muitas possibilidades para destrinchar dentro de um disco que carrega um ousado título como este.

Contudo, o rótulo — deve ser lido desta maneira mesmo —, a qual leva o projeto e a banda, soa mais decorativo em chamar atenção para imediatamente consumirem este repleto vazio artístico. Ao nos darmos a tarefa de escutá-lo, somos surpreendidos, infelizmente, por escolhas criativas horríveis e líricas pobres que não chegam em lugar algum ou que possibilitam que sejam tiradas por parte da audiência alguma reflexão concreta. E, o que talvez possa ser o único ponto um pouco positivo sobre o “disco” — porque nem tudo é negativo em totalidade —, é sua produção interessante que, não ironicamente, é desperdiçada pelo amadorismo pífio de composição e algumas texturas experimentais de shoegaze e rock alternativo.

Foi uma luta terminar de ouvir e quando chegou no fim tive a ingrata surpresa de me deparar com uma faixa de 15 minutos, a qual a duração pouco me importa, mas que esta seja no mínimo algo que desperte vontade em escutar, o que não é este o caso… Me incomoda o fato de tanta experimentação com vertentes do rock e instrumentos estarem em mãos que não sabem como utilizá-las.

Falta muito para A Terra Vai Se Tornar Um Planeta Inabitável conseguir atingir, de maneira séria, as pessoas que são atraídas pelo gigante nome que a banda exibe. Precisam estudar um pouco mais o contexto que estamos atravessando atualmente, e para isso faz-se necessária leitura não apenas do tempo presente, mas também do passado, pois é a partir daí que serão capazes de emitir alguma reflexão mais interessante ao mundo.

Selo: Independente
Formato: LP
Gênero: Rock / Shoegaze
Joe Luna

Futuro graduando de Economia Ecológica (UFC), 22 anos. Educador ambiental, e redator no Aquele Tuim, onde faço parte das curadorias de MPB, Pós-MPB e Música Brasileira e Música Latina/Hispanófona. Além disso, trago por muitas vezes em minha escrita uma fusão com meu lado ambientalista.

Postagem Anterior Próxima Postagem