Crítica | The Sport of Love



★★★½

The Sport of Love reúne uma série de pensamentos que compõem a linguagem do romantismo na sociedade moderna.

Em The Sport of Love, o amor é a chave para a conexão entre o passado e o futuro da música na perspectiva do romantismo. Asma Maroof, ao lado de Patrick Belaga e Tapiwa Svosve, cria algumas das melhores paisagens sonoras do ano.

Aqui, os artistas imprimem a ideia de criar uma trilha sonora imaginária para um filme romântico, neste sentido, o referido amor torna-se mais do que um elemento central. É, antes de tudo, o começo e o fim de toda atmosfera gerada a partir da construção narrativa baseada no ambiente e no jazz.

Esses elementos sonoros, por sua vez, se misturam tão bem que a forma como cada som e cada perspectiva são gerados torna-se particular. Atrelado a eles está a presença inebriante da música eletrônica como fonte de algumas criações que as dedilhadas do piano e o sopro do sax não alcançam.

Em faixas como "Delicate Distance Between Boulders", a sutileza do orgânico e do sintético fazem jus à ideia central dos artistas envolvidos. Nesses momentos, percebe-se o rigor de The Sport of Love em sua proposta de contemplar o amor.

Selo: PAN
Formato: LP
Gênero: Jazz / Eletrônica, Ambiente
Matheus José

Graduando em Letras, 23 anos. No Aquele Tuim, faço parte das curadorias de Jazz, Música Independente, Eletrônica e Experimental.

Postagem Anterior Próxima Postagem