Crítica | unlikely places



★★★★

Unlikely Places tem sua objetificação criativa baseada na ideia de que a arte pode ser encontrada em qualquer lugar.

Como sugere o título, Unlikely Places tem sua objetificação criativa baseada na ideia de que a arte pode ser encontrada em qualquer lugar, até mesmo nos locais mais indesejados.

Como sugere o título, Unlikely Places tem sua objetificação criativa baseada na ideia de que a arte pode ser encontrada em qualquer lugar, até mesmo nos locais mais indesejados. É fantástico porque não só transmite muito bem essa compreensão, como também nos faz refletir sobre o quão fugazes somos neste plano físico, imenso e pouco palatável, e que por vezes é impossível de ser explorado.

Obra do projeto awakened souls, formado por James Bernard, produtor já conhecido no cenário da música eletrônica, e Cynthia Bernard, o disco é uma pesquisa bem fundamentada tanto sobre as técnicas aqui utilizadas quanto sobre sua temática, que se baseia em uma percepção humana para poder atingir seus efeitos.

Claro que, a nossa compreensão espacial e geográfica também servem de apoio para os artistas, mas o que eles fazem neste registro, em específico, é trabalhar de acordo com uma visão utilitária extremamente positiva acerca de onde a arte reside.

Selo: Past Inside the Present
Formato: LP
Gênero: Ambiente / Eletrônica, Drone
Matheus José

Graduando em Letras, 23 anos. No Aquele Tuim, faço parte das curadorias de Jazz, Música Independente, Eletrônica e Experimental.

Postagem Anterior Próxima Postagem