Clássicos do Aquele Tuim | Night Time, My Time (2013)



★★★★½
 
Uma década do incrível e único álbum de Sky Ferreira.

O cultuado álbum do universo pop alternativo completa 10 anos e ainda chama atenção pela sua capa intrigante, fotografada por ninguém menos que o famoso cineasta Gaspar Noé. Embora Sky Ferreira apareça nua na capa, alguns esperam músicas sensuais e provocativas. No entanto, a artista apresenta uma combinação de música energética e sombria, assemelhando-se a um synth pop grunge.

A intenção inicial era transformar Sky em uma nova sensação do pop, à semelhança de Britney Spears, mas, na época, ela acabou ganhando destaque, principalmente no Tumblr, devido ao seu visual grunge descolado, juntando-se a outras artistas alternativas da época. A diferença é que, infelizmente, sua carreira não decolou, apesar de ser uma cantora muito promissora e ter bons contatos na indústria musical. Sky, então, nunca lançou um sucessor do Night Time, My Time e aparentemente não demonstra grande interesse em fazê-lo.

O disco apresenta canções fáceis de ouvir em qualquer ocasião, ao contrário de seu antecessor, o EP Ghost, que contém músicas mais leves e se distancia das pistas de dança. Apesar das músicas mais "fáceis", é um trabalho repleto de personalidade e inclui até falas de Laura Palmer em Twin Peaks: Fire Walk With Me na música que leva o mesmo nome do álbum. Além disso, Sky explora um som bastante jovem, mesmo com claras influências da música dos anos 80 e 90, e suas letras tratam de questões pessoais sobre amor e frustrações.

Nesta obra, vejo a artista como uma boa mistura de Blondie, Madonna, Joan Jett e Gwen Stefani. É encantador, viciante e único. Com seu álbum de estreia, é notável o surgimento de uma grande estrela que, nos dias de hoje, poderia ser uma das mais populares, caso desejasse.
 
Selo: Capitol Records
Formato: LP
Gênero: Synthpop
Vit

Sou a Vit, apaixonada pelo universo musical desde que me entendo por gente, especialmente por vocais femininos. Editora e repórter no Aquele Tuim, onde faço parte das curadorias de Pop, MPB, Pós-MPB e Música Brasileira.

Postagem Anterior Próxima Postagem