Crítica | “Child Light”



★★★★

“Child Light” pode parecer sombria às vezes, mas sua intenção é puramente luminosa.

A sequência de singles apresentados por Votú, com “Super Sonic” e “Berimbau”, revelou que parte do caminho percorrido pelo artista tem vida própria. Seu som, que misturou o natural, de natureza, com o sintético, de eletrônico, tem sido eficaz na construção de um ponto comum. E “Child Light” também — ou essencialmente — atinge esse ponto comum, no entanto, a música é mais intensa do que suas antecessoras e às vezes tão sombria que dá arrepios na espinha. É, sem dúvida, uma das peças focadas na criação de ambientes mais interessantes do ano (até então).

Selo: Matula Records
Formato: Single
Gênero: Eletrônica / Experimental
Matheus José

Graduando em Letras, 23 anos. No Aquele Tuim, faço parte das curadorias de Jazz, Música Independente, Eletrônica e Experimental.

Postagem Anterior Próxima Postagem