Crítica | Big Anonymous



★★★★

Big Anonymous é composto por baladas que duram longos minutos, um silêncio anamórfico e um desespero que nos faz refletir sobre o vazio.

Big Anonymous, da artista sueca El Perro del Mar, surge 8 anos depois de seu último álbum, KoKoro, de 2016. Em todo esse tempo, não lhe faltou inspiração para criar algumas das suas mais simbólicas — e catárticas — canções.

O álbum enfatiza a intensa variação de sons e estilos, embora mantenha sempre uma unidade que se revela através de texturas de música ambiente. São baladas que duram longos minutos, um silêncio anamórfico e um desespero que nos faz refletir sobre o vazio.

“Why do I come here?

Why do I keep returning?

It’s not you haunting me

It’s my mind disturbing”

Ela canta em “Between You And Me Nothing”, música que parece precisar apenas de dois elementos para transmitir a angústia: os vocais de fundo e o próprio vocal frontal de El Perro del Mar, que dubla as palavras como se estivesse desferindo golpes de faca em si mesma. É dilacerante.

Em outros momentos, como em “Please Stay”, o tom aumenta, e mesmo que os vocais abafados permaneçam, a faixa é corrompida por uma inquietação que soa tão explosiva quanto intimidante — sensação bem representada pela capa do álbum. É um exemplo de como impor o sentimento a partir da perspectiva, por vezes demasiado padronizada, do pop alternativo que acontece uma vez em um milhão.

Selo: City Slan
Formato: LP
Gênero: Pop / Art Pop, Singer-Songwriter
Matheus José

Graduando em Letras, 23 anos. No Aquele Tuim, faço parte das curadorias de Jazz, Música Independente, Eletrônica e Experimental.

Postagem Anterior Próxima Postagem