Crítica | Doubling Down



★★★★

Doubling Down é decomposto pela exterioridade temática de causar uma sensação atípica.

É interessante, e muito engraçado também, perceber como álbuns como esse, Doubling Down, acabam recebendo uma descrição provocativa, como serem chamados de “pseudomúsica”. Sabe-se que o prefixo pseudo, utilizado em diversas línguas, refere-se a uma versão falsa e não comprovada de algo, como a pseudociência.

Mas neste caso, volta-se para a música como sendo uma adequação oposta ao que a música deveria ser. Em primeiro lugar, pode existir música falsa? E se sim, o que o torna assim? De qualquer forma, talvez essas respostas não estejam contidas nas infinitas possibilidades trazidas aqui por Ashcircle.

O álbum dispensa formulações, é composto por fragmentos — bastante retóricos — de performances ao vivo enquanto é decomposto pela exterioridade temática de causar uma sensação atípica. Não é possível afirmar que isso não aconteça de fato, mas essa marginalização de buscar ser tão diferente talvez reafirme a graça do empacotamento eletroacústico em meio à ausência de padrão e à presença de uma pretensão motivadora.

Selo: Hideous Replica
Formato: LP
Gênero: Experimental / Eletroacústica
Matheus José

Graduando em Letras, 23 anos. No Aquele Tuim, faço parte das curadorias de Jazz, Música Independente, Eletrônica e Experimental.

Postagem Anterior Próxima Postagem