Crítica | The Great Bailout



★★★½

The Great Bailout é um registro difícil.

The Great Bailout é um registro difícil. Andar nas entrelinhas de sua densa exposição temática é se deparar com um turbilhão de subtextos que compõem processos históricos de extrema importância no sentido social — e de formação, isto é, que atuam tanto externa quanto internamente na objeção central do trabalho.

É exatamente por isso que as falhas aqui presentes parecem receber o dobro de consideração quando são destacadas. Há uma certa estranheza cujo som, baseado em raízes negras multidisciplinares, parece surtir efeito. Sua congruência, porém, é desinteressante, pois é como se cada arranjo, cada melodia, cada grito ou cada palavra vociferante fossem calculados para atingir um objetivo.

Essa configuração pode funcionar em algum momento, mas acaba tornando o projeto mais artificial do que deveria. Embora a colonização não deva, de forma alguma, ser abordada como parte da automação, essa proposta até que tem uma garantia de sucesso efetiva.

Selo: Anti-
Formato: LP
Gênero: Experimental / Electroacústica
Matheus José

Graduando em Letras, 23 anos. No Aquele Tuim, faço parte das curadorias de Jazz, Música Independente, Eletrônica e Experimental.

Postagem Anterior Próxima Postagem