Crítica | Mascarada: Zé Keti por Sergio Krakowski Trio e Jards Macalé



★★★½

Mascarada é uma obra que vai além da homenagem.

Mascarada tem como objetivo dilatar, fragmentar e reimaginar as composições do sambista carioca Zé Keti. Para isso foram escolhidos Jards Macalé e Sergio Krakowski Trio, uma combinação de arte que dá ritmo ao álbum, sem deixar de ser, de certa forma, um material inédito.

Aqui, os arranjos de samba são decompostos na perspectiva de mistura-los com o jazz. É neste ponto que a percussão de Sergio e o piano de Vitor Gonçalves se chocam como forma de estabelecer os símbolos de ambos os gêneros desconstruídos na obra.

Há, em momentos como “Opinião”, uma união de todos esses fatores, inclusive Jards Macalé com a voz e Todd Neufeld com as cordas. A música em questão parece evitar dispensar a confusão proposital de suas partes. É incrível e mostra que como músicos, as figuras aqui presentes vão muito além da homenagem.

Selo: Rocinante
Formato: LP
Gênero: Jazz / Samba-jazz, Avant-Garde Jazz, Free Improvisation
Matheus José

Graduando em Letras, 23 anos. No Aquele Tuim, faço parte das curadorias de Jazz, Música Independente, Eletrônica e Experimental.

Postagem Anterior Próxima Postagem