Crítica | Quest For Fire


★★★★

Não perca a chance de ouvir Skrillex em 2024, por mais inacreditável que isso possa parecer.

Após redefinir o rumo da música eletrônica mainstream no começo da década passada, Skrillex retorna de um hiato de nove anos com seu melhor projeto até então. Com uma boa ecleticidade de estilos que vão do hybrid trap ao bass house, o produtor parece que substituiu os ouvidos e agora consegue ter um nível de escolha de timbres e melodias fantástico.

Músicas como “Supersonic (my existence)” e “XENA” são, sem sombra de dúvidas, as peças de música eletrônica mais excitantes e sombriamente excêntricas que o artista já fez, com drops chocantes e uma mixagem de baixo e bateria sem paralelos.

Porém, isso não significa que as outras faixas deixem a desejar, muito pelo contrário, todas têm algo de diferente, dançante e sinistro a oferecer, seja pelas manipulações de sample divertidíssimas ou baixos congelantes. Não perca a chance de ouvir Skrillex em 2024, por mais inacreditável que falar isso possa parecer.

Selo: OWSLA, Atlantic
Formato: LP
Gêneros: Eletrônica / EDM, Trap, Dubstep
Sophi

Sophia, 18 anos, estudante e redatora no Aquele Tuim, em que faço parte das curadorias de Rap e Hip Hop e Experimental/Eletrônica e Funk.

Postagem Anterior Próxima Postagem