Crítica | Fabiana Palladino


★★★½

Fabiana Palladino e seu primeiro álbum foram uma novidade muito agradável neste ano.

Quando se pensava que o renascimento do pop oitentista já tinha entregue tudo o que podia oferecer, chega Fabiana Palladino, juntamente do brilhante Jai Paul e Pino Palladino, e nos faz revisitar os sons clássicos daquela época, só que de forma diferente da qual nós estamos acostumados.

Cantora e compositora inglesa, Fabiana Palladino, com a ajuda de Jai Paul, já havia lançado algumas músicas de trabalho, como “Mystery”, “Shimmer” e “Waiting”, porém só agora que resolveu lançar seu primeiro álbum. E, por mais que pessoalmente pense que tenha demorado tempo demais para o fazer, fico agradecido que finalmente o fez, pois esse trabalho, mesmo possuindo algumas falhas, é excelente e foi muito bem sucedido em apresentar sua autora e sua visão criativa única para o público.

O álbum autointitulado da senhorita Palladino é um ostensivo trabalho de R&B contemporâneo, baseado nas canções do gênero da época de 1980, das quais muitas constavam com sons vibrantes do synth funk. A sonoridade é composta por uma harmonia saborosa entre instrumentos orgânicos e sintetizadores. Porém, também há de haver palmas na percussão de uma faixa ou outra, como é o caso de “Stay With Me Through The Night”, um dos singles principais de Fabiana Palladino, ou acordes de guitarra eletrônica na composição, como em “Shoulda” — sétima faixa do disco.

Ademais, o trabalho de Fabiana e seus colaboradores na composição melódica do disco é sensacional, e sua performance vocal é, também, perfeita, porque capturou, com precisão, a paisagem sonora das músicas de R&B daquela época. No entanto, há alguns momentos em que ela se deixa acomodar demais na ótima instrumentação orquestrada, evitando de desenvolver outras ideias excitantes no álbum. Isso não quer dizer que decaia, apenas que não progride ou aproveite todo o potencial que tinha, e isso é um pouco frustrante. A colaboração oficial dela com Jai Paul, “I Care”, por exemplo, podia ter sido espetacular, mas infelizmente acabou sendo o elo mais fraco do disco.

Em resumo, Fabiana Palladino e seu primeiro álbum foram uma novidade muito agradável deste ano. Sua colaboração com Jai Paul gerou algumas das canções mais divertidas até o momento (tirando “I Care”, óbvio, essa foi meio fraca comparada às outras). Eu estou muito ansioso para ouvir o que o futuro desses dois tem reservado para nós.

Selo: XL, Paul Institute
Formato: LP
Gênero: Pop / R&B Contemporâneo
Bruno do Nascimento

Sou Bruno, tenho 18 anos, sou autista, paraibano, escritor e estou terminando o Ensino Médio. Amo escrever e comentar sobre música onde passo, inclusive no Aquele Tuim, em que faço parte da curadoria de Música Brasileira e Pop.

Postagem Anterior Próxima Postagem