Crítica | One Of A Kind



★★★★

Em One Of A Kind, o Loossemble se mantém estável e parece confiante em suas abordagens. 

Após a infeliz separação do grupo LOONA, cinco das doze integrantes resolveram criar um grupo novo. Com laços estabilizados e uma base de fãs já consistente, Vivi, Yeonjin, Hyeju – anteriormente, Olivia Hye –, Gowon e Hyunjin migram de empresa, e então o Loossemble surge. Com um dos maiores triunfos de 2023, o projeto de re-estreia do quinteto é brilhante, com canções impactantes e que realçam as habilidades que dificilmente eram mostradas no grupo anterior.

E então, exatamente sete meses depois, as jovens retornam com outro EP, desta vez chamado One Of A Kind, em que algumas músicas o grupo se mantém estável e parece confiante em suas abordagens. Na faixa título é apresentado um pop confortável baseado no retrô que o K-pop sabe explorar. “Girls’ Night” consegue se diferenciar de “Sensitive”, single anterior do grupo, mas já fica visível que aos poucos uma identidade sonora está sendo estabelecida. Ela também trabalha bem as habilidades do grupo, explorando principalmente as vozes e suas individualidades.

“Moonlight” é uma peça bem suave, mas ela consegue ser imprevisível, já que o instrumental parece mudar a cada trecho novo. O refrão é construído em um anti-drop bem condensado, dando um toque diferente no que a canção poderia seguir. Numa tentativa de abordagem de uma música forte e impactante, “Boomerang” surge como sendo um experimento de girl crush. A música acaba causando uma certa expectativa nos primeiros segundos, e quando o refrão não chega no ponto agitado, pode soar decepcionante, mas a quantidade de elementos, distorções e samples discretos a fazem se tornar única.

Retornando ao lado apaixonante, “He Said I Said” remete a sonoridade de canções voltadas para o verão sul-coreano, é divertida e até nos remete um pouco às canções do primeiro EP do grupo. Contando com a composição da ex-integrante do LOONA Yves, “Truman Show” é uma faixa midtempo com progressões comuns – e isso não é um problema. Ela se encaixa bem com o conceito e com a sonoridade que vem sendo apresentada, também servindo de um ótimo gancho para a próxima canção. “Starlight” encerra o projeto da melhor maneira possível. É clichê? Sim, mas finalizar os projetos com canções mais calmas é uma das maiores e melhores fórmulas do K-Pop, ainda mais quando a faixa é boa e consegue se manter na coesão do disco, não se perdendo e causando um problema de sequência.

A paixão e compromisso do grupo com suas músicas é completamente clara. As faixas são bem produzidas e possuem elementos que, mesmo que pequenos, fazem uma diferença enorme e mostram o quão refinada a produção do projeto pode ser, evidenciando uma evolução significativa desde o EP de estreia. One Of A Kind é um dos melhores projetos da música sul-coreana de 2024 e, caso for bem trabalhado, ele tem um potencial de se consolidar e ajudar no aumento da popularidade do Loossemble.

Selo: CTDENM
Formato: EP
Gênero: Música do Leste e Sudeste Asiático / K-Pop, Dance
João Vitor

20 anos, nascido no interior da Bahia e graduando em Ciências da Computação. Faz parte das curadorias de Música do Leste e Sudeste Asiático no site Aquele Tuim.

Postagem Anterior Próxima Postagem