Crítica | The Greater Wings


★★★★½

The Greater Wings, de Julie Byrne, transmite de forma adequada as fortes emoções de sua intérprete, marcando uma evolução muito grande em sua carreira.

The Greater Wings, por mais que muitos persistam em dizer o contrário, é um dos álbuns de beleza mais únicos lançados nesses últimos tempos. Interpretado por Julie Byrne, sua detentora, e produzido pelas mãos talentosas do já falecido Eric Littmann (ex-parceiro de Byrne) e Alex Somers, o encanto desta obra consegue enfeitiçar qualquer um.

Todas as canções desse álbum são sensacionais, porém, há três que se destacam mais: "Summer Glass", que se revela uma magnífica balada de synthpop e ambient; "Moonless", faixa de chamber folk, onde está encapsulado os episódios mais tristes vividos por Julie após a morte de Eric; e "The Greater Wings", que afoga o ouvinte em desalento com seu refrão emocionante.

É verdade o que dizem de haver uma certa similaridade de Byrne e The Greater Wings com o trabalho de outros artistas do gênero, como Weyes Blood, por exemplo. As duas possuem um timbre vocal bem semelhante um ao outro e uma forma parecida de cantar. Entretanto, apenas esse mero detalhe, o qual estão usando para desvalorizar o disco de Byrne, não é algo tão agravante ao ponto de se tornar uma problemática, visto que Julie tem suas próprias peculiaridades, sendo uma delas a sua sonoridade.

The Greater Wings, nas primeiras instâncias, aparenta ser apenas um típico álbum de folk, porém, ao continuar ouvindo, percebe-se logo uma mudança em sua sonoridade e a adição de elementos de ambient pop e synthpop — como na faixa "Summer Glass", anteriormente citada, "Summer End" e também "Hope's Return". O que, por si só, apresenta um dinamismo dentro da obra e uma unicidade bem marcante.

Acabado de ouvir tudo, é muito difícil não se sentir apaixonado pelo disco. The Greater Wings, em geral, é muito bonito, conciso e coerente. Transmite de forma adequada as fortes emoções de sua intérprete e marca uma evolução muito grande em sua carreira como artista e cantora.

Selo: Ghostly International
Formato: LP
Gênero: Folk / Singer-Songwriter, Chamber folk
Bruno do Nascimento

Sou Bruno, tenho 18 anos, sou autista, paraibano, escritor e estou terminando o Ensino Médio. Amo escrever e comentar sobre música onde passo, inclusive no Aquele Tuim, em que faço parte da curadoria de Música Brasileira e Pop.

Postagem Anterior Próxima Postagem