Crítica | NEKTAR



★★★½

O quarto disco de Ava Rocha não deixa rastros e nem parece usar a marca da artista.

Na pós-MPB, Ava Rocha sempre usou seu potencial comunicativo para criar canções, às vezes, difíceis de digerir. NEKTAR, embora distante dessa abordagem, permanece difuso.

O álbum, infelizmente, na tentativa de soar mais acessível, acaba por apelar para uma maior superficialidade de temas e abordagens sonoras colocadas sob uma mesa de escolhas, confusa e inerente, em relação aos trabalhos anteriores da artista. Exemplo disso são as faixas "LONGE LONGE DE MIM" e "ASAS DE ALUGUEL".

Mesmo assim, o resultado parece ser positivo, já que a diversão — marcada por composições repletas de referências — parece ter um efeito verdadeiramente avesso ao estranhamento da artista, mas totalmente em sintonia com o que ela, em sua criação máxima, comumente faria. Nesse sentido, "BEIJANDO TODOS VOCÊS" acaba sendo a melhor peça de todas.

Selo: Tratore
Formato: LP
Gênero: Pós-MPB / Música Brasileira, Art Pop
Matheus José

Graduando em Letras, 23 anos. No Aquele Tuim, faço parte das curadorias de Jazz, Música Independente, Eletrônica e Experimental.

Postagem Anterior Próxima Postagem