Crítica | Cosmic


★★★☆☆
3/5

Quando se trata de longevidade, existe um ar de magia, quase mística, que ronda os grandes atos de k-pop que conseguem alcançá-la. Seja pela historicidade da indústria ou pelas dinâmicas de mercado e de comportamento de público, a maioria dos grupos e de solistas enfrentam um apanhado de ranhuras que impossibilitam a construção de uma carreira duradoura e consistente de fato.

Daqui a exatos trinta dias, Red Velvet completa dez anos de carreira. Apesar da trajetória turbulenta, o quinteto é um dos artefatos raros que se estabeleceram nesse lugar. O grupo conseguiu uma identidade artística respeitada, se consagrando como uma referência em conceitos, dotado de uma discografia primorosa e, não por acaso, como um dos atos mais importantes da história da música sul-coreana recente.

Cosmic é o lançamento que deveria encapsular essa grande comemoração. Com seis faixas, ele é concebido em EP, formato que o grupo consagrou várias sequências de projetos de ponta. O resultado é um material dotado de ideias interessantes, mas que falha em sustentar o princípio da sua existência — e isso está para além do material em si.

“Cosmic”, a faixa-título de mesmo nome, é uma das melhores peças de todo o grupo. Agrupando as características de uma verdadeira música do Red Velvet, é uma faixa que agrega beleza em todos os sentidos, seja pela linha de baixo que envolve os versos, seu refrão grande e contagiante ou pelo MV impecável, inspirado em Midsommar (2019). As outras músicas seguem uma linha consistente, geralmente flertando com sonoridades oitentistas e que possuem apelo à nostalgia, se fincando em uma estrutura confortável — tanto para assegurar o interesse do ouvinte, quanto em preservar as características que se esperam de um projeto do grupo.

O grande problema aqui é que, mesmo com qualidades, Cosmic é regular demais, seguro demais. Depois da faixa título, existe um desnível impossível de ser ignorado. Ele não oferece nada de memorável o suficiente, e jamais conseguiria ser o projeto que faria jus em demarcar uma data comemorativa, principalmente quando se trata de uma das discografias mais louvadas no k-pop.

Porém, sempre há uma visão otimista sobre a música do quinteto. A SM enfrenta a sua maior crise criativa, e todas as membros rejeitaram com veemência as ideias iniciais do projeto. Cosmic só possui o mínimo de coerência e pulsão por conta do amor incondicional de Irene, Seulgi, Wendy, Joy e Yeri pela história e pelas características do grupo. É uma prova de que não importa as circunstâncias, Red Velvet continuará florescendo.

Selo: SM
Formato: EP
Gênero: Música do Leste e Sudeste Asiático / K-Pop

Felipe

Graduando em Sistemas e Mídias Digitais, com ênfase em Audiovisual, e Estagiário de Imagem na Pinacoteca do Ceará. É editor do Aquele Tuim, contribuindo com a curadoria de Música do Continente Africano.

Postagem Anterior Próxima Postagem