Crítica | When We Were That What Wept For the Sea



★★★★

Colin Stetson tensiona um equilíbrio magnífico entre o pós-minimalismo e seu possível palco.

Em When We Were That What Wept For the Sea, o saxofonista Colin Stetson produz uma peça incomparável do pós-minimalismo ao explorar as mais diversas aplicações de seu instrumento numa lógica íntima e exuberante.

Dos momentos mais isolados aos mais abrangentes, dos sintetizadores aos metais, dos espaços escuros aos iluminados; o disco encabula tudo debaixo da mesma égide circunspecta e intensamente emotiva.

Não tenho ciência do quão disruptivo ele é para o gênero, pois não ouço muito pós-minimalismo, mas tenho certeza que ele funciona muito bem justamente para a audiência que me compreende: ignorantes em música clássica. Direi em alto e bom som: foi uma quase introdução excepcional.

Selo: 52Hz
Formato: LP
Gêneros: Clássica / Pós-Minimalismo
Sophi

Sophia, 18 anos, estudante e redatora no Aquele Tuim, em que faço parte das curadorias de Rap e Hip Hop e Experimental/Eletrônica e Funk.

Postagem Anterior Próxima Postagem