Crítica | Space Heavy


★★★★

Do existencialismo frequente nas obras do artista, à sobriedade da instrumentação que avança por diferentes segmentos sonoros, Archy Marshall mantém a excelência em Space Heavy.

O disco também apresenta uma atmosfera psicodélica diretamente inspirada nos anos 70, o que confere ao álbum uma sensação nostálgica, além de manter o som totalmente dark, em um revival do pós-punk. É perfeito para quem frequenta a boate Madame, em São Paulo.

O destaque vai para o dueto com Raveena, que proporciona um clima mais relaxante, especialmente devido ao vocal mais suave da cantora. Apesar do som do álbum ser mais calmo, as letras são pesadas, o que realmente me faz sentir em um espaço denso. Definitivamente, é um dos álbuns mais interessantes de 2023.

Selo: XL Records
Formato: LP
Gênero: Art Rock
Vit

Sou a Vit, apaixonada pelo universo musical desde que me entendo por gente, especialmente por vocais femininos. Editora e repórter no Aquele Tuim, onde faço parte das curadorias de Pop, MPB, Pós-MPB e Música Brasileira.

Postagem Anterior Próxima Postagem