Crítica | PetroDragonic Apocalypse; or, Dawn of Eternal Night: An Annihilation of Planet Earth and the Beginning of Merciless Damnation



★★★★★

King Gizzard And The Lizard Wizard mergulha em suas inspirações de thrash metal e o resultado é um de seus projetos mais fantásticos até hoje.

King Gizzard And The Lizard Wizard, apesar da quantidade absurda de lançamentos, o que, talvez, cause dificuldade em acompanhar todos os seus projetos, são artistas muito interessantes para se atentar em sua discografia, pois são uma das bandas mais versáteis do rock atual, despertando interessante a cada novo disco que surge sempre de forma inesperada. Mesmo tendo como principal sonoridade o rock psicodélico, é comum vê-los explorar algumas vertentes diferentes do gênero.

Em 2022, por exemplo, foi entregue um álbum de jazz-rock, Ice, Death, Planets, Lungs, Mushrooms and Lava. No mesmo ano, com Changes, King Gizzard And The Lizard Wizard trouxeram o som psicodélico para um contexto mais pop e, mesmo em uma sonoridade mais comercial e acessível, não deixaram de trazer um resultado fascinante, ao contrário do que acontece com muitas bandas que, ao adaptar seu som para o pop, muitas vezes acabam elaborando registros que carecem da essência do grupo.

Agora, em 2023, eles mergulham em suas inspirações de thrash metal e o resultado é um de seus projetos mais fantásticos até hoje. Vários dos lançamentos da banda que buscavam sonoramente explorar um estilo diferente foram excelentes tentativas, no entanto, nenhum o fez de forma tão fascinante quanto em seu novo álbum.

Para além de seus riffs de guitarra e conjuntos de bateria, que são extremamente cativantes — o que é algo bastante comum de King Gizzard And The Lizard Wizard entregar —, este é um registro que destaca-se por conseguir apresentar, de maneira surpreendente, a essência do ritmo por meio da instrumentação que traz fascinantemente o caráter agressivo e agitado da vertente do metal, e também por mostrar como o vocalista se dá muito bem com o gênero, pois a performance feroz de Stu Mackenzie cai como uma luva na sonoridade do projeto.

O grande êxito em trazer essa abordagem sonora faz com que King Gizzard And The Lizard Wizard, por mais que não pertença de fato ao cenário do subgênero, soar como grandes artistas do thrash-metal em PetroDragonic Apocalypse; or, Dawn of Eternal Night: An Annihilation of Planet Earth and the Beginning of Merciless Damnation.

Selo: KGLW
Formato: LP
Gênero: Rock / Trash Metal, Metal Progressivo
Davi Bittencourt

Davi Bittencourt, nascido na capital do Rio de Janeiro em 2006, estudante de direito, contribuo como redator para os sites Aquele Tuim e SoundX. No Aquele Tuim, faço parte das curadorias de Música do Leste e Sudeste Asiático, Pop e R&B.

Postagem Anterior Próxima Postagem