Clássicos do Aquele Tuim | Automatic For The People (1992)



★★★★★

Após um sucesso estrondoso em seu disco anterior, Out Of Time, a banda norte-americana R.E.M. mergulha em um oceano profundo de melancolia em Automatic For The People.

Para qualquer artista, a complexidade de escrever/cantar sobre temas sensíveis é alta, afinal, na maioria das vezes, o ouvinte se identifica com a letra e momentos que o autor da obra busca passar em sua arte. Entretanto, para Michael Stipe, Mike Mills, Bill Berry e Peter Buck, isso parecia muito simples enquanto os mesmos escreviam as canções de Automatic For The People.

O disco possui uma simplicidade sonora e lírica, de certa forma, mas consegue transportar com maestria tudo o que deseja exibir ao público. Um exemplo prático disso, é a letra da belíssima “Everybody Hurts”, o maior hit do álbum. Nela, a banda apresenta uma mensagem de apoio cristalina e direta, sem quaisquer metáforas ou dificuldades de interpretação: “don’t let yourself go, cause everybody cries, and everybody hurts sometimes”.

Apesar de ser uma letra teoricamente clichê, a sensação de entendimento e conforto é notória, dando a impressão que Stipe simplesmente abraça o ouvinte e diz: “vai ficar tudo bem!”, e, às vezes, é tudo o que nós precisamos. “Sweetness Follows” segue a linhagem desalentada do disco, nos trazendo um instrumental mais denso e pesado, junto com uma forte descrição da perda de entes queridos.

Ao mesmo tempo em que nos despedaça, o LP também nos traz momentos esporádicos de felicidade, como nos singles “The Sidewinder Sleeps Tonite” e “Man On The Moon”. O primeiro possui uma alegria tamanha já nos seus primeiros acordes, além de uma letra despretensiosa e cômica (Stipe até ri em um dos versos da canção). Já o segundo, é uma homenagem brilhante ao ator Andy Kaufman, fazendo citações de personagens do mesmo e nos mostrando várias referências a importantes acontecimentos ocorridos até o lançamento da música.

A nostalgia é abordada de forma impecável em “Nightswimming”, em que Stipe relembra bons momentos com os colegas de banda no início dos anos 80. A canção ainda é contemplada com os ótimos arranjos de cordas de John Paul Jones, ex Led Zeppelin, causando uma atmosfera suave e rica em detalhes apesar da pouca instrumentação da faixa.

Fazer álbuns acústicos muitas vezes pode ser difícil, pois a chance de se tornar algo genérico e tedioso é enorme. Mas, Automatic For The People veio pra quebrar parâmetros no rock alternativo e, também, na discografia do R.E.M., com um lirismo simples, mas rico; e uma atmosfera marcante e pesada que é capaz de afligir e, ao mesmo tempo, consolar o ouvinte. Sem dúvidas um dos maiores clássicos da história da música.

Selo: Warner Bross
Formato: LP
Gênero: Rock / Rock Alternativo
Davi Landim

Meu nome é Davi, curso jornalismo e sou viciado em escrever sobre música. No Aquele Tuim, faço parte da curadoria de Rock.

Postagem Anterior Próxima Postagem