Crítica | Girl With No Face



★★★★

Allie X retorna em uma homenagem à nostálgica era dos anos 80, com fortes inspirações em bandas de synthpop e post-punk da época.

Allie X é uma das cantoras pop que mais evoluíram ao longo de seus trabalhos, embora ela esteja longe de ser uma cantora super conhecida. E talvez essa relativa falta de fama seja o que proporcione maior liberdade para a artista exercer sua criatividade. Em Girl With No Face, Allie traz sua nova obra sem parcerias, liderando sozinha a produção do álbum.

Os singles que antecederam o lançamento do disco já indicavam algo interessante a caminho. A canção “Black Eye” é um exemplo perfeito disso. Nessa música, Allie mergulha em um revival oitentista divertido e que também desperta curiosidade de exploração, presente quase que completamente em seu novo trabalho.

Em cada faixa, percebemos uma clara inspiração nos sons de sucesso dos anos 80, como as bandas Depeche Mode, New Order, Joy Division e The Human League. Allie X mergulha intensamente na obsessão pelas bandas britânicas da época, o que resulta na construção de uma imagem mais sombria, mas sem deixar de lado os toques de música pop.

Neste trabalho, Allie X mostra como é possível se inspirar em seus ídolos sem parecer uma cópia do que já foi feito. Apesar das referências musicais claras, ela ainda consegue imprimir sua própria identidade ao trabalho. O resultado é familiar, nostálgico, criativo e inovador.
 
Selo: Twin Music
Formato: LP
Gênero: Pop / Synthpop, New Wave
Vit

Sou a Vit, apaixonada pelo universo musical desde que me entendo por gente, especialmente por vocais femininos. Editora e repórter no Aquele Tuim, onde faço parte das curadorias de Pop, MPB, Pós-MPB e Música Brasileira.

Postagem Anterior Próxima Postagem