Crítica | Cloudward



★★★½

Trabalho de destaque da musicista Mary Halvorson, do Brooklyn, Cloudward é repleto de ideias interessantes.

Trabalho de destaque da musicista Mary Halvorson, do Brooklyn, Cloudward é repleto de ideias interessantes. À medida que avançamos pela participação quase épica dos artistas responsáveis por dar volume ao álbum, notamos como cada um deles imprime uma visão própria de espaço e de música.

É um contrapeso interessante se considerarmos as intensas e constantes descobertas que o jazz pode proporcionar através das suas figuras históricas. Mas aqui nada vai além do que Mary parece compreender — e isso é muito, tanto que às vezes a dispersão é quase impossível, pois cada elemento registrado pela artista parece se estender para melhor ocupar as ideias afloradas por ela.

Embora Adam O'Farrill comande o trompete e Jacob Garchik o trombone, são momentos coordenados por Mary Halvorson, através de exímios dedilhados, em composições dançantes como “Ultramarine” que realçam e engrandecem o ambiente gerado ao longo da obra. É envolvente e, acima de tudo, divertido.

Selo: Nonesuch Records
Formato: LP
Gênero: Jazz
Matheus José

Graduando em Letras, 23 anos. No Aquele Tuim, faço parte das curadorias de Jazz, Música Independente, Eletrônica e Experimental.

Postagem Anterior Próxima Postagem