Crítica | How Lost



★★★½

Depois de uma década, a banda britânica de shoegaze The Fauns se reúne para voltar à forma.

Demorou uma década para a banda britânica de shoegaze The Fauns se reunir e retornar à atividade. How Lost, nessa perspectiva, funciona mais do que o retorno à unidade dos artistas envolvidos — que pode ter se desintegrado ao longo do tempo —, é como se fosse uma reunião de atos.

O primeiro ato, obviamente, é recuperar o tempo perdido. É por isso que músicas como “Doot Doot” mantêm a nostalgia, com cordas sintéticas ditando melodias facilmente identificáveis. O segundo ato — por conseguinte o último — é a explicação da busca da unidade através do som.

Note como os arranjos que perpetuam o shoegaze sem depender necessariamente das características fixas do gênero, assumem as rédeas adequadas à cena Bristol, cuja banda assume em momentos como “Mixtape Days” — também um retorno ao passado.

Selo: Invada Records UK
Formato: LP
Gênero: Rock / Shoegaze, Dreampop, Noise pop
Matheus José

Graduando em Letras, 23 anos. No Aquele Tuim, faço parte das curadorias de Jazz, Música Independente, Eletrônica e Experimental.

Postagem Anterior Próxima Postagem