Crítica | On The Lips



★★★½

On The Lips é um álbum cuja beleza se manifesta pelos meios mais inusitados, aqui, o assobio.

Enquanto alguns artistas têm a voz, ligada a potências incríveis, como principal meio de propagação de sua arte, Molly Lewis tem seus assobios. On The Lips, primeiro álbum da artista, é inteiramente composto por assobios.

Mas não é como se ela compusesse o som e as melodias com seus assobios, na verdade, ela os usa no lugar da voz. No álbum você encontrará a instrumentação, o ritmo e outros aspectos que constituem um padrão muito comum na música comercial hoje. O elemento X, por assim dizer, é o som que projetamos quando comprimimos os lábios e deixamos o ar expirado sair por entre a língua em forma de canaleta.

Mas não é só isso. On The Lips é incrivelmente romântico e atmosfericamente único. É um álbum cuja beleza se manifesta pelos meios mais inusitados. É uma das ocasiões em que percebemos o poder da música em ir além dos seus espaços já estabelecidos. Não é muito inventivo — na verdade é bastante contido — mas mostra muito mais do que apenas a sua delicadeza.

Selo: Jagjaguwar
Formato: LP
Gênero: Pop / Lounge
Matheus José

Graduando em Letras, 23 anos. No Aquele Tuim, faço parte das curadorias de Jazz, Música Independente, Eletrônica e Experimental.

Postagem Anterior Próxima Postagem