Crítica | Wish You Hell



★★★½

WENDY tenta se arriscar na diferença, entretanto, não chega exatamente no pico que deveria.

Continuando com canções lentas que são designadas para vocalistas principais na SM Entertainment, WENDY tenta se diferenciar daquilo feito no seu primeiro lançamento com canções R&B’s, contudo, a sonoridade calma, em sua grande maioria, continua ali.

“Wish You Hell” é a faixa principal do EP e já é perceptível uma mudança de rumo. A canção explora um pop rock que transita entre o melódico, para combinar com a sua voz potente, e alegre, com a intenção de enfatizar essa nova roupagem. O single consegue apresentar coisas divertidas, mas não soa como um risco que a cantora correu, estando confortável e tudo “estático”.

O refrão é um dos maiores pontos altos da canção, enquanto a letra repetitiva deixa a desejar, dando a impressão de que é uma música apenas para viralizar em aplicativos de redes sociais. É uma faixa curta, então não acaba sendo cansativa, já que os últimos segundos revertem essa situação. Sendo totalmente em inglês para poder presentear os seus fãs internacionais, “His Car Isn’t Yours” introduz o primeiro som R&B do projeto. Ela consegue criar uma atmosfera em diversos momentos, ainda mais com a enfatização da voz da WENDY, no entanto, deixa a desejar em diversos momentos. É uma peça monótona, assim como a primeira.

O álbum é feito de tentativas, e vemos isso com “Best Ever” almejando trazer algo que remete ao estilo de R&B que é mais “para cima”, ou seja, dinâmico. O uso dos instrumentos de sopro dão um toque especial na faixa, além do que é complementado pela mescla do coro masculino com a voz da cantora, que juntos criam uma harmonia. “Better Judgement” aborda uma sonoridade mais acústica e aconchegante, com a presença de violão e uma das maiores utilizações da voz da WENDY no EP.

E então, o disco acaba com as duas melhores músicas. “Queen Of The Party” foi descrita, anteriormente, como uma faixa dance-pop, mas percebemos que ela é apenas uma canção bem otimista e que consegue introduzir uma faceta diferente ao projeto. “Vermillion”, por sua vez, consegue explorar bem a excelência de WENDY. É uma canção que traz a voz da cantora do melhor jeito, tendo transições entre tons baixos e altos, sendo acompanhada por um instrumental repleto de elementos, sejam eles orquestrais ou modernos com batidas impactantes. É a canção mais brilhante de todo o projeto e consegue se estabelecer no topo do EP.

Wish You Hell é uma montanha russa em sua estrutura: ora é uma faixa agitada, ora é uma faixa lenta. Isso causa um incômodo, porque não consegue traçar uma imagem de algo concreto e não é possível aproveitar boa parte das canções, porque a sua aura é exterminada pela música seguinte. As seis músicas são individuais, já que nenhuma delas se assemelham, e isso pode trazer dois pontos diferentes: ou é agradável porque foi um direcionamento certeiro da produção, ou é triste porque nenhuma das canções parecem pertencer ao mesmo projeto. E, de uma maneira incrível, “Wish You Hell” consegue ficar no meio exato entre esses dois extremos. Caso a organização de faixas fosse mais precisa, seria um tiro certeiro ao alvo, mas mesmo não conseguindo atingir esse nível, o disco não chega a ser divergente em sua composição.

WENDY é uma das vocalistas mais competentes da SM Entertainment, só que acaba por decepcionar quando se tem um projeto que, além da sonoridade ser parada, não produz uma boa experimentação de sua voz, diferentemente de Like Water, o EP de estreia solo da idol. Wish You Hell não é arriscado e tampouco atinge a verdadeira energia que a cantora sempre pareceu gostar, mas ele ainda é um disco que cumpre a sua proposta e consegue canalizar bem essa tentativa de mudança.

Selo: SM
Formato: EP
Gênero: Música do Leste e Sudeste Asiático / K-pop, R&B
João Vitor

20 anos, nascido no interior da Bahia e graduando em Ciências da Computação. Faz parte das curadorias de Música do Leste e Sudeste Asiático no site Aquele Tuim.

Postagem Anterior Próxima Postagem