Crítica | “Good Luck, Babe!”


★★★☆☆
3/5

Queridinha da crítica, do tiktok, das rádios, dos gays, das lésbicas, das adolescentes fãs de Olivia Rodrigo e de vários outros demográficos, Chappell Roan lança o que é, provavelmente, o único synthpop revival bom desde Carly Rae Jepsen ou The Weeknd. Ver que uma canção — magistralmente escrita, vale destacar — sobre o ciúme lésbico atingiu o topo das paradas nada me faz além de me encher de orgulho, mas fica melhor ainda ao saber que é totalmente merecido. O refrão, a escrita e a subversão dos valores do pop rock em “Good Luck, Babe!” são todos contagiantes, ímpares e chocantemente queer. Seja para chorar, dançar, experimentar sentimentos profundamente ou apenas se orgulhar de ter uma lésbica liderando o mundo pop, ouça Chappell Roan! Vai ser melhor que Taylor Swift, lhe garanto isso.

Selo: Amusement, KRA
Formato: Single
Gênero: Pop / Synthpop Revival, Pop Rock
Sophi

Sophia, 18 anos, estudante e redatora no Aquele Tuim, em que faço parte das curadorias de Rap e Hip Hop e Experimental/Eletrônica e Funk.

Postagem Anterior Próxima Postagem