Crítica | Zelena



★★★½

Zelena funciona melhor quando YMA e Jadsa entrelaçam seus talentos e não ao contrário.

Disco colaborativo entre YMA e Jadsa revela o ponto de colisão entre dois nomes importantíssimos da música brasileira atual. Zelena, EP de seis faixas, reúne o melhor das duas artistas e o melhor da post-MPB em 2023.

O disco, centrado na ideia de representar o percurso e a personalidade de duas pessoas, acaba por se dividir entre solos e, por vezes, duetos. Esses, por sua vez, são os melhores momentos.

Os solos funcionam, claro, mas só o conjunto formado por elas consegue dar sentido ao material que, embora tenha apenas 6 faixas, acaba obtendo uma frequência longeva de aproveitamento dos elementos utilizados em "Mete Dance" e "Meredith Monk", melhores faixas.

Em outras palavras, a experimentação dosada pelos vocais sonhadores de YMA e os versos cantados com alma de Jadsa trazem efetividade nos sentidos abordados por elas. São momentos contagiantes, mas, pouco duradouros.

Selo: Matraca Records
Formato: EP
Gênero: Pós-MPB / Experimental, Art pop
Matheus José

Graduando em Letras, 23 anos. No Aquele Tuim, faço parte das curadorias de Jazz, Música Independente, Eletrônica e Experimental.

Postagem Anterior Próxima Postagem