Crítica | “The Devil in Me”


★★★★

Novo single de Dir en Grey é melancólico e barulhento, assim como as lembranças dos 27 anos de carreira da banda.

Dir en Grey é uma banda de rock japonês visual kei que chama a atenção por seu rock progressivo e avant-garde metal, sempre com muito barulho e disposição em ser gótico. Sem perder sua essência, a banda segue na mesma linha em seu 34º single, “The Devil in Me”.

Acompanhado de um remake das músicas “Cage” e “YOKAN[予感]”, ambas de seu álbum de estreia, Gauze (1999), “The Devil in Me” representa bem a nostalgia dos anos passados, e grita sua melancolia em relação à vida. A letra deixa evidente o tom negativo sobre existir, terminando com a pergunta “What did you really love?”. Muito bem arquitetado, “Cage” e “YOKAN” se relacionam com o single não apenas no sonoro, mas também na letra e sentimento, sempre com a decepção do amor, da vida e despedidas, um sofrimento sem hora para acabar.

Envolvente e condescende, “The Devil in Me” é uma excelente porta de entrada para a banda, assim como um bom resumo de sua carreira, que permanece na melancolia da raiva e no vocal gutural do coração partido.

Selo: FIREWALL DIV
Formato: Single
Gênero: Rock / Rock Progressivo, Avant-garde Metal
beatriS

Bibliotecário nas horas vagas. Faço parte das curadorias de Música do Leste e Sudeste Asiático, Rock e Experimental.

Postagem Anterior Próxima Postagem